Passível de contaminar qualquer pessoa, a toxoplasmose é especialmente grave quando adquirida durante a gravidez. Saiba o que é e como tratá-la.

Doença infecciosa, congênita ou adquirida, a toxoplasmose é causada por um protozoário chamado toxoplasma gondii, encontrado nas fezes dos gatos e outros animais que também podem hospedar o parasita, como gado e porco.

Além disso, frutas e legumes mal lavados, além do consumo de carnes cruas são grandes vetores de toxoplasmose.

Os casos agudos são, geralmente, limitados e com baixas incidências. A fase aguda da infecção tem cura, mas o parasita persiste por toda a vida da pessoa e pode se manifestar ou não em outros momentos, com diferentes tipos de sintomas.

Para as mulheres grávidas a toxoplasmose é ainda mais preocupante. Isso porque o desenvolvimento da doença durante a gestação e a falta de tratamento podem acarretar problemas para o bebê como surdez, microcefalia, macrocefalia, retardo mental e alterações motoras graves.

 

Sintomas

Muitas vezes, os sintomas da toxoplasmose são semelhantes aos da gripe, apesar de sua versão assintomática ser também bastante comum. Além disso, existem variantes da toxoplasmose, como a toxoplasmose ocular e a toxoplasmose visceral, que apresentam sintomas distintos.

Os sintomas da toxoplasmose são variáveis e associados ao estágio da infecção (agudo ou crônico). Os sintomas normalmente são leves, similares à gripe, dengue e podem incluir dores musculares e alterações nos gânglios linfáticos.

Pessoas com baixa imunidade podem apresentar sintomas mais graves, incluindo febre, dor de cabeça, confusão mental, falta de coordenação e convulsões.

 

Cuidados para evitar a toxoplasmose durante a gravidez

Como a toxoplasmose é prioritariamente difundida pelas fezes dos gatos, é recomendado que as grávidas evitem o consumo de carne terrestres cruas. Já que a contaminação não acontece pela água, é muito difícil que haja contaminação pelo consumo de peixe cru, por exemplo.

No entanto, durante a gravidez é importante evitar o consumo de qualquer carne crua para evitar contaminação por bactérias diversas, como a salmonela.

Além disso, as hortaliças, que vêm diretamente do solo, precisam ser muito bem lavadas e deixadas de molho antes do consumo. Da mesma maneira, ao manusear a terra no jardim ou carnes cruas, a gestante deve usar luvas.

 

Descoberta e tratamento

A toxoplasmose pode ser identificada já nas primeiras consultas do pré-natal, quando é solicitado o histórico de sorologia da paciente. Algumas vezes, a gestante tem a imunidade natural contra a toxoplasmose, chamada de IGG positivo. Nesse caso, o risco de contração da doença é pequeno.

Mesmo que os primeiros exames apresentem resultado negativo, em todos os trimestres da gravidez os profissionais de saúde devem investigar a presença de toxoplasmose no organismo da mulher e revisitar seus hábitos para evitar a contração da doença.

Durante a gestação, o tratamento costuma ser feito com o uso de antibióticos que interrompem o crescimento do toxoplasma e a constante investigação da saúde do feto. A monitoração do feto é feita pelo procedimento de pulsão abdominal, que identifica se houve a contaminação de toxoplasmose dentro do útero da mulher grávida.

Gostou da leitura? Não deixe de ler os outros textos sobre saúde e gravidez postados no site Nove Meses.

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here