Muito se costuma falar sobre a ingestão de ácido fólico, versão sintética da vitamina B9 associada à saúde do bebê. Mas para quê serve o ácido fólico?

 

O que é ácido fólico

Ácido fólico, ou vitamina B9, é uma vitamina hidrossolúvel, ou seja, solúvel em água, que atua principalmente na formação de proteínas estruturais e hemoglobina, assim como na síntese de DNA, que acontece durante o período de desenvolvimento embrionário.

Assim como todas as vitaminas, o ácido fólico é essencial para o bom funcionamento do metabolismo, e pesquisas sugerem que sua falta ou excesso pode desencadear sérios problemas de saúde. No organismo, a vitamina B9 desempenha outras funções específicas e atua sobretudo para:

  • Redução do risco de mal de Alzheimer.
  • Prevenção de doenças cardíacas e derrame.
  • Prevenção de anemia.
  • Redução de perdas auditivas em idosos.
  • Tratamento de má função dos rins.
  • Desenvolvimento saudável do embrião.

 

Fontes de ácido fólico

A fontes mais abundantes de ácido fólico na alimentação são os vegetais folhosos como espinafre e agrião, fígado e vísceras de boi, feijão, sementes e nozes, algumas frutas (abacate, banana, melão) e levedura de cerveja.

O ácido fólico pode se perder durante o cozimento, mas também é bastante encontrado em suplementos, medicamentos e produtos fortificados. Os suplementos são os mais indicados em caso de deficiência de ácido fólico. Além disso, alguns alimentos processados como farinhas de trigo são reforçados com o nutriente para prevenir carências alimentares.

 

Ácido fólico e gravidez

Mesmo em uma gravidez saudável, a ingestão de ácido fólico é altamente recomendada por diminuir o risco de malformação do sistema nervoso central do bebê. A suplementação previne o aparecimento de defeitos no tubo neural do feto, que se forma nos primeiros meses de gravidez e envolve a estrutura primitiva que dá origem ao cérebro e à medula espinhal.

Além disso, o ácido fólico é também responsável por ajudar na formação da placenta e no desenvolvimento do DNA, assim como por diminuir o risco de pré eclâmpsia durante a gravidez.

Geralmente, é recomendada a dose de 600 mcg por dia para as grávidas, e a dose pode ser suspendida depois dos 3 primeiros meses de gravidez, já que o ácido fólico tem efeito de até um ano. Todas as recomendações, no entanto, devem ser atestadas por um médico após a realização dos primeiros exames pós gravidez.

No Brasil, a Anvisa determina os requisitos para o enriquecimento de farinhas de trigo e de milho com ácido fólico com base nas diretrizes da Organização Mundial da Saúde (OMS). A OMS também recomenda a suplementação preventiva para as gestantes que iniciaram o pré-natal, independente da idade gestacional, até o terceiro mês pós-parto.

5 COMMENTS

    • Toda gestante tem que utilizar o acido fólico, principalmente nos primeiros 3 meses da gestação.
      O uso de drogas diminui a absorção do Acido Fólico (em outras palavras, a medicação não faz o efeito esperado). O uso de drogas em qualquer fase da gestação pode provocar diversas alterações para o bebê, como má-formações, prematuridade e morte súbita.

      Caso a gestante não use nenhuma droga há vários meses, provavelmente não exista droga circulando em seu organismo, então o feto não correrá riscos devido uso de drogas antes da gestação e a absorção do Acido Fólico será completa e eficaz. Lembre-se que as drogas podem permanecer dentro do seu corpo por meses!

      Porém, não deixe de fazer seu Pré-Natal e conversar com o seu médico sobre seu histórico de uso de drogas (lícitas ou ilícitas), além de fazer todos os exames solicitados, que rastrearão a possibilidade de doenças que podem afetar sua saúde e de seu bebê.

  1. Eu Ideci Ferreira Barreto faço uso da vitamina B9 juntamente com a B12 e B6 a seis meses, eu tenho sessenta anos. O artigo é sensacional

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here