Uma alimentação balanceada permitirá que a gestante se mantenha saudável, sem carências nutricionais, com o sistema imune preservado e com o trato gastrintestinal funcionando normalmente, prevenindo náusea, vômitos, azia, refluxo, gases e constipação. Além disso, pode auxiliar a aparência externa da mãe, como por exemplo, prevenindo o aparecimento de inchaços e estrias na pele durante a gestação e a queda de cabelos no pós-parto.

Durante a gestação é importante também monitorar o ganho de peso para prevenir problemas durante a gravidez, como obesidade, diabetes gestacional ou pré-eclampsia. Um ganho de peso adequado diminuirá o risco de complicações durante o parto e, em seguida, contribuirá para que retorne ao peso que tinha antes de engravidar.

A hipertensão gestacional é uma complicação que acompanha entre 5 e 7% das grávidas brasileiras. O aumento da pressão é um mal que pode comprometer a saúde e a vida tanto da mãe, quanto do bebê.

Além da pressão alta, outras complicações como excesso de proteína na urina ou insuficiência hepática podem ocorrer para se ter o diagnóstico. Assim, a pré-eclâmpsia se agrava afetando o cérebro e causando convulsões, juntamente com outros sintomas como perda de consciência, agitação, dores de cabeça ou musculares. Uma vez que a pré-eclâmpsia foi identificada, tome cuidados como repousar e monitorar sua saúde e do bebê para evitar a eclâmpsia. Após o nascimento da criança, a pressão arterial deve voltar ao normal.

Fique atenta e se cuide em dobro durante a gestação. Mantenha as consultas do pré-natal em dia e não deixe de procurar o médico, caso ocorra alguma alteração no seu quadro. E lembre-se de vigiar a sua alimentação para manter os valores da sua pressão arterial.

Quais são as causas da hipertensão na gravidez?

Não existe uma única causa mas os principais agravantes da hipertensão são os hábitos alimentares, embora o começo do problema esteja na formação da placenta.

É muito importante frisar que algumas mulheres têm hipertensão na gravidez sem sentir absolutamente nada. Isso lhes dá uma falsa segurança. A ausência de sintomas funciona como um alvará para não voltarem ao médico, não fazerem dieta, não tomarem os remédios. Esse engano pode provocar, de uma hora para outra, uma complicação nos rins ou um derrame cerebral. Infelizmente, algumas acreditam que por estarem no final da gestação não precisam mais voltar ao médico. Estão enganadas. É no último mês que o risco dessas doenças aumenta e, portanto, é o período em que elas mais necessitam de acompanhamento médico.

1 COMMENT

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here